Finalmente: O Modelo de Transição de Executivo para Empreendedor

Information – Education – Matchmaking

* Por Elber Mazaro

Durante todo o ano passado, escrevi artigos que detalhavam os elementos estudados e pesquisados durante meu projeto de Mestrado em Empreendedorismo pela FEA/USP, com foco no processo de transição de executivos para o empreendedorismo.

Fui descrevendo em cada artigo um ou dois dos elementos identificados como críticos, tanto na pesquisa acadêmica / teórica, quanto nas entrevistas realizadas com 10 profissionais que realizaram a transição pesquisada. Em alguns momentos compartilhei um pouco da experiência acadêmica em comparação a vivência corporativa.

Na verdade, eu ainda não escrevi um artigo para cada elemento identificado, mas chega de enrolação, agora no início de 2018, é hora de mostrar o resultado final, resumido / consolidado, mas acho que é o momento de escrever sobre a visão holística e depois posso voltar aos elementos específicos que ainda não foram detalhados. Ok?

Este é o gráfico do modelo:

Bom, alguns podem se lembrar de artigos anteriores, enquanto outros podem estar lendo este como o primeiro da série, então vale explicar que o modelo é composto de quatro blocos, sendo:

  1. Autoconhecimento;
  2. Avaliação do Perfil Empreendedor (quais as diferenças de perfil entre o executivo e o empreendedor);
  3. Planejamento Estratégico Pessoal (com foco na transição) e;
  4. A Execução da Transição em si.

Já detalhei em um artigo inteiro a importância do Autoconhecimento, não só para o momento de transição, quanto também para a vida toda, então não vou me alongar nisto, mas é importante reforçar que está é a base que dá solidez e propósito para a evolução pessoal e profissional que podem ser trazidas pelas mudanças, com a transição para o empreendedorismo.

O segundo bloco, o de Avaliação do Perfil do Empreendedor, se alimenta de achados específicos de um processo mais estruturado de Autoconhecimento, a partir do entendimento das motivações e necessidades do executivo ou profissional que considera uma transição para funções independentes, sem vínculo e empreendedoras. Não acho que todos podem ser bons empreendedores, e sim que existem características próprias aos profissionais bem sucedidos, e que apesar de algumas serem passíveis de aprendizado e desenvolvimento, outras são próprias da personalidade do indivíduo. Os dois elementos que dão sequência na avaliação do perfil do executivo em comparação ao empreendedor, são:

Para concluir este segundo bloco do modelo, existem quatro elementos derivados dos dois acima mencionados:

  • Aceitar Risco Maior;
  • Buscar Inovação Constante;
  • Desenvolver Flexibilidade e Aprendizado Contínuo e;
  • Aplicar Experiências Anteriores (executiva e empreendedora).

Estes quatros elementos, que na verdade são mais pois os últimos dois itens possuem mais de um componente em casa, serão detalhados em artigos em um futuro próximo.  Eles representam os fatores mais citados nas referências teóricas e nas entrevistas, para que um executivo possa ser bem sucedido na sua transição rumo ao empreendedorismo.

Não há uma ordem mandatória para a avaliação das características empreendedoras do executivo e nem necessariamente um tempo para cada, mas estes elementos representam o mínimo de itens a serem constantemente considerados para quem quer empreender, mesmo que não sejam executivos.

O terceiro bloco se aproveita da definição do Propósito de Vida e dos Valores Pessoais que devem ser extraídos do processo de Autoconhecimento.

Como em todo bom planejamento, é importantíssimo a definição de Objetivos e Metas, não só para o empreendimento, mas o Planejamento Estratégico Pessoal, mesmo que adaptado para uma transição como a estudada, demanda atenção a várias áreas que não podem ser desassociadas, com a Pessoal, Familiar, Social, Espiritual além da Profissional. Com o objetivo de simplificar esta abordagem, e utilizando-me de conhecimentos da Administração e dos estudos de Empreendedorismo, sugeri uma simplificação que basicamente não só definir objetivos e metas, mas também todo o plano a ser gerido nos seguintes  três Capitais:

Todos estes capitais foram explorados em artigos específicos já publicados, que detalham um pouco a sua definição, origem, importância e necessidades para aplicação.

Finalmente o último bloco, a Execução da Transição, é o que representa a efetiva execução do movimento rumo ao empreendedorismo, porque os demais blocos podem e devem ser executados antes mesmo da decisão ser tomada, mas também devem ser considerados durante todo o processo.

A teoria que embasou a definição dos elementos da transição, é a de Identidade de Carreiras, da autora e pesquisadora Herminia Ibarra. Os três elementos que compõem este bloco são:

  • A Experimentação;
  • Atenção especial a momentos de Insights, Mudanças e Decisões e;
  • A Busca por Apoio Pessoal e Empreendedor.

Também serão desenvolvidos artigos específicos para estes elementos do modelo, mas basicamente está refletida a ideia de se testar, experimentar e degustar aos poucos o caminho do empreendedorismo, enquanto se avalia o processo como um todo, se aprende com as experiências e se ajusta o rumo na direção das experiências que trouxeram mais significado.

Há um destaque que chama a atenção para o momentos críticos de todo processo, onde surgem os insights que podem ser descobertas não óbvias a partir das informações, do aprendizado e da inteligência aplicada na racionalização dos dados e eventos ou mesmo do sentimento em determinadas situações.

Os momentos de tomada de decisão e escolha por mudar o que foi planejado originalmente também merecem igualmente uma atenção especial, com tempo, ambiente e condições que propiciem uma resolução produtiva e positiva.

Finalmente uma das lições mais valiosas que tiro deste projeto, é que ninguém devem seguir por transições e novos caminhos, sozinho. A busca por apoio não faz ninguém inferior, fraco ou envergonhado. O orgulho pode ficar de lado e a busca por apoio é fundamental para que o resultado esperado seja atingido.

O modelo aqui proposto sugere tanto a busca por Apoio Pessoal, considerando a família, amigos e até profissionais como psicólogos, quanto a busca por Apoio Empreendedor, com mentores, instituições de conhecimento e fomento, investidores se for o caso, que possam suportar o lado profissional da transição e do(s) novo(s) negócio(s).

Este projeto pode virar um livro (estou explorando esta possibilidade). Já estou oferecendo serviços de mentoria com este foco. Também está em desenvolvimento, treinamentos / workshops sobre o tema, tanto para indivíduos como para empresas e com certeza ainda teremos muito mais artigos a serem produzidos e compartilhados. Aguarde, em breve mais conteúdo estará disponível.

Sou grato a todos que participaram deste projeto, direta ou indiretamente, assim como aos que comentam, curtem, compartilham e criticam os artigos.


Elber Mazaro - Espaço do ExecutivoElber Mazaro é assessor/consultor, mentor e professor em Estratégia, Tecnologia, Marketing, Carreiras/Liderança e Inovação/Empreendedorismo. Atua há mais de 25 anos no mercado, liderando negócios no Brasil e na América Latina. Possui mestrado em Empreendedorismo pela FEA-USP, pós-graduação em Marketing e bacharelado em Ciências da Computação.

O post Finalmente: O Modelo de Transição de Executivo para Empreendedor apareceu primeiro em Startupi.

Powered by WPeMatico